MAIS UMA ASNEIRA DO GURU OLAVO DE CARVALHO

Quem destruiu o Brasil foram os professores de filosofia, direito e ciências sociais. Mais uma asneira saída da lavra do auto-intitulado filósofo Olavo de Carvalho. Muito provavelmente tal análise se deve ao fato de nunca ter frequentado os bancos de uma universidade e de sua atuação nesta área se restringir a dar aulas num curso de astrologia.

Anúncios

VISÃO ESTREITA: TOFFOLI DIZ QUE NÃO IMPÔS CENSURA

Na tentativa de justificar o injustificável, o presidente do STF, Dias Toffoli afirmou que ele e o ministro Alexandre Moraes não impuseram a censura, mas sim defenderam a Corte. Acontece que a reportagem censurada dos sites Crusoé e O Antagonista não atinge o STF, mas apenas cita o nome de Toffoli, sem ao menos ligá-lo a qualquer tipo de recebimento escuso de dinheiro. Toffoli “viaja na maionese” ao afirmar que “tudo foi algo orquestrado para sair às vésperas do julgamento em segunda instância” (que já havia sido adiado por ele) e que “querem atingir a instituição” (sendo que se divulgou documento dos autos que cita só ele do STF).

QUASE FUI CANDIDATÁVEL A MINISTRO DO STF

Seguindo a tese apresentada pelo jornalista Caio Coppola, posso afirmar que quase fui “candidatável” a uma vaga no Superior Tribunal Federal. Explico: cursei até o sétimo semestre do curso de Direito na UEM. Caso tivesse concluído o curso, poderia ter sido advogado de um partido político e a partir disso ser merecedor da chance de ocupar uma das cadeiras do STF. Não precisaria escrever obras jurídicas e nem mesmo passar em concursos públicos para funções no Judiciário, bastaria ter um bom relacionamento com as pessoas certas. Isso não aconteceu comigo, mas sim com o atual presidente da Corte, Dias Toffoli. Perdi uma oportunidade e tanto, mas não a chance de fazer piada com a situação.

PREFEITO KIQ PROPÕE BOICOTE A ANUNCIANTES DE RADIALISTA

Informando a utilização da “maldade recíproca” o prefeito de Paranavaí, Delegado KIQ, usou as redes sociais para sugerir um boicote aos anunciantes do radialista Mohamad Smaili. A sugestão foi feita depois que o radialista criticou o preço do tomate e incitou os ouvintes a boicotarem o produto. Segundo o prefeito, “o problema não é o lucro irrisório do produtor, mas o custo elevado de produção”. Definitivamente, o prefeito não consegue ficar com os dedos longe do smartphone, mesmo tendo afirmado que iria se afastar das polêmicas cotidianas e se ater à produção de lives.

FORÇA NACIONAL É ACIONADA POR MORO

Atendendo a um pedido do GSI – Gabinete de Segurança Institucional, o ministro Sergio Moro autorizou o uso da Força Nacional na Esplanada dos Ministérios por 33 dias. O general Augusto Heleno se prepara para manifestações nos próximos dias. A informação foi divulgada na conta do Twitter da líder do Governo na Câmara, Joice Hasselmann.

FELICIANO QUER IMPEACHMENT DE MOURÃO

O deputado Marco Feliciano, vice-líder do governo no Congresso, protocolou na Câmara um pedido de impeachment do general Hamilton Mourão. O deputado alega que o vice tem adotado “comportamento indecoroso”, sendo desleal a Jair Bolsonaro e, na avaliação dele, cometendo crime de responsabilidade. “Foi um tiro de alerta. Dilma teve 19 pedidos antes do derradeiro. Espero que o general tenha postura leal com o presidente. Chega de conspiração, agora é hora de união.” Definitivamente, o governo não precisa de oposição.

MINISTROS DO STF E A CENSURA

Passou da hora dos demais ministros do STF se posicionarem sobre os os absurdos que a dupla Dias Toffoli/Alexandre de Moraes tem feito em relação à liberdade de expressão, garantida pela Constituição, documento que deveria balizar todas as ações dos membros da Alta Corte do Judiciário. Quando dois ministros se arvoram o direito de denunciar, investigar e julgar o que denominam abusos das redes sociais nas críticas ao Judiciário, o país corre o risco de ver nascer um poder único, uma verdadeira ditadura do Judiciário. É inconcebível medidas como a censura prévia e a suspensão de contas nas redes sociais num país que se diz democrático.