O GRITO FORTE DA CASERNA

As Forças Armadas nunca estiveram tão fortes em representatividade no governo de Jair Bolsonaro, que tem no 1º e 2º escalão do governo, oito representantes. Este número é maior do que existia na equipe do governo de Castelo Branco, primeiro presidente após o Golpe de 64. Os últimos acontecimentos – a desistência de ter uma base dos EUA no Brasil e a exclusão dos militares no projeto de reforma da Previdência, mostram bem o poder de fogo da categoria. Quem defendia a intervenção militar no país deve estar festejando. Já quem se preocupa com liberdades básicas, como a de expressão, certamente está com a pulga atrás da orelha.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s